Ibovespa tem 4ª alta seguida e se aproxima de 126 mil pontos com apoio de metálicas e exterior | Finanças

O Ibovespa alcançou a quarta alta seguida hoje, dando continuidade ao rali causado pelo alívio no exterior. Os rendimentos dos Treasuries voltaram a cair, o que deu apoio aos ativos de risco em todo o mundo. A alta de papéis ligados às commodities metálicas deu impulso adicional à bolsa brasileira. O volume de negócios foi menor do que nos pregões anteriores, em razão do feriado de Dia da Consciência Negra em São Paulo e outras cidades. A semana também é mais curta nos Estados Unidos, com feriado de Dia de Ação de Graças na quinta-feira.

Após ajustes, o Ibovespa subiu 0,95%, aos 125.957 pontos. A mínima intradiária foi de 124.773 pontos, enquanto a máxima alcançou os 126.162 pontos. O volume de negócios para o índice no dia foi de R$ 18,37 bilhões. Em Nova York, o índice S&P 500 subiu 0,74%, aos 4.547 pontos, o Dow Jones avançou 0,58%, para 35.151 pontos, e o Nasdaq ganhou 1,13%, aos 14.285 pontos.

Embora já trabalhasse em alta desde o início do pregão, o Ibovespa ganhou impulso maior durante a tarde em razão de um alívio nos mercados internacionais. O rendimento dos Treasuries, que começou o dia em alta, passou a cair após demanda sólida em leilão de títulos americanos – o recuo no retorno dos títulos americanos ajuda ativos de risco em todo o mundo. O juro menor dos títulos americanos já vinha impulsionando a bolsa brasileira nas últimas semanas, e contribuiu para levar o índice local ao maior patamar desde julho de 2021.

“Nas últimas semanas, há um movimento de descompressão de risco. Nossa bolsa estava à mercê do movimento dos EUA”, afirma Felipe Moura, sócio e analista da Finacap Investimentos. “O juro alto por lá funcionou como aspirador de liquidez, não havia liquidez em emergentes. Mas os sinais das últimas 3 semanas mostraram um esfriamento na economia americana. O conjunto de dados macro, mais o ‘valuation’ muito deprimido que tínhamos, acabou fazendo com que a bolsa reagisse muito.” O índice já acumula alta de 11,32% em novembro.

Antes do resultado do leilão americano, o Ibovespa já vinha avançando no pregão de hoje em razão, principalmente, das altas de ações ligadas às commodities metálicas. A possibilidade de novos incentivos da China ao setor imobiliário deu sustentação aos papéis do setor. Agentes econômicos também repercutiram relatório do Bank of America (BofA), que elevou as recomendações para os papéis de Vale, CSN, CSN Mineração e Usiminas. “O minério de ferro pode estender seu rali recente e alcançar os US$ 150/tonelada no primeiro trimestre de 2024”, afirmou o relatório do banco, citando os baixos estoques da commodity.

Com isso, Vale ON (+2,45%), CSN ON (+9,49%), CSN Mineração ON (+3,79%) e Usiminas PNA (+2,11%) fecharam com altas firmes. Por outro lado, o BofA reduziu as recomendações de Gerdau e Metalúrgica Gerdau. Gerdau PN terminou com baixa de 4,33% e Metalúrgica Gerdau ON recuou 4,62%, na contramão dos pares setoriais.

Ainda entre as commodities, a alta firme do petróleo Brent impulsionou Prio ON (+2,26%), 3R Petroleum ON (+1,07%) e PetroReconcavo ON (+1,27%). Petrobras PN (+0,08%) e Petrobras ON (-0,33%), no entanto, ficaram atrás dos pares.

Ações de consumo, como Magazine Luiza ON (+2,70%) e grupo Casas Bahia ON (+3,51%) deram sequência à trajetória positiva. Para Moura, da Finacap Investimentos, são os papéis como esses, mais sensíveis aos juros, que devem ser os mais ajudados com o rali da bolsa. “Eram as empresas mais pressionadas até agora, então devem ser as que vão se beneficiar mais.”

Mesmo após o avanço das últimas semanas, ele acredita que o Ibovespa ainda tem espaço para avançar. “O ‘valuation’ ainda está baixo se olharmos a métrica preço/lucro. Historicamente, quando essa relação estava baixa, costumava voltar rapidamente, mas ainda não vimos isso acontecer. Apesar dessa alta recente, a bolsa continua muito depreciada.”

Deixe um comentário

x