Sem mencionar partidos, PSD diz que buscará ‘frente ampla’ para campanha à reeleição de Fuad Noman em BH | Política

O PSD anunciou nesta segunda-feira (26) a pré-candidatura do prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman, para concorrer à reeleição e informou que buscará formar uma frente ampla progressista na capital mineira. O evento contou com a participação do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, do presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, do presidente do PSD em Minas Gerais, deputado Cássio Soares, e outras lideranças partidárias.

  • Leia também:
  • Tomara que Bolsonaro consiga se explicar, afirma Kassab sobre suspeitas contra o ex-presidente

O partido evitou falar em legendas com as quais esteja negociando no momento. Também participaram do evento lideranças do PV e do PCdoB. “Conto com partidos aliados e setores da sociedade que apoiam nosso projeto. A política é a arte do diálogo e da conciliação”, afirmou Fuad Noman.

“Eu quero, em particular, na posição que ocupo representando o presidente Lula em Minas Gerais, servir como aquele que pode fazer o elo, para que a gente vá muito além do PSD, para que a gente construa uma grande frente progressista, que represente uma Belo Horizonte que respeita as pessoas”, afirmou Silveira.

Questionado sobre conversas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre uma possível aliança com o PT, que compõe federação com PV e PCdoB, o ministro desconversou. “Eu vejo que Belo Horizonte está há mais de duas décadas no rumo certo. Eu acho que nós temos de agora até o período convencional o grande desafio de construir uma grande aliança que possa ajudar Belo Horizonte a continuar no rumo certo, a continuar crescendo, a cuidar dos belo-horizontinos e a cuidar do restante de Minas Gerais”, disse Silveira.

Interlocutores do PT também defendem a formação de uma frente ampla de partidos de centro-esquerda para concorrer à prefeitura de Belo Horizonte. O partido também defende que Fuad Noman abra mão da candidatura própria para que o PSD apoie o pré-candidato do PT, o deputado federal Rogério Correia, levando em conta que o PT já vai apoiar Eduardo Paes (PSD) na campanha à reeleição à Prefeitura do Rio de Janeiro.

“Diante da manifestação do Fuad, que tem nosso apoio e teve nosso incentivo, fica de maneira muito respeitosa ao deputado inviabilizada essa pretensão. Mas é um aliado muito importante que vai estar conosco no segundo turno”, afirmou Kassab.

Sobre um possível apoio do secretário da Casa Civil de Minas Gerais, Marcelo Aro (PP), Fuad disse que não tem compromisso eleitoral com Aro, mas que acolhe todo apoio que receber. No ano passado, vereadores ligados a Aro passaram a compor a base aliada ao prefeito.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), estava previsto para participar do evento, mas informou que não poderia comparecer porque foi chamado às pressas para uma conversa com Lula em Brasília. Em vídeo, ele afirmou que a unidade do partido em torno de Fuad Noman é “muito positiva e recomendável, considerando o perfil de Fuad, é alguém muito preparado e habilidoso”.

Ainda durante o evento, Kassab citou Pacheco como nome possível para concorrer a governador de Minas Gerais ou à presidência da República em 2026. “Pacheco é uma pessoa que honra o partido, está preparado para estar à frente de outros cargos em Minas Geras e outros lugares. Ele tem tudo para ser o governador de Minas, tem tudo para ser presidente da República”. afirmou Kassab.

A ausência do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) foi questionada. Fuad Noman era vice-prefeito de Kalil, que em 2022 renunciou ao cargo para concorrer ao governo de Minas Gerais pelo PSD, tendo perdido para Romeu Zema (Novo), que venceu no primeiro turno.

Fuad Noman disse que convidou Kalil para participar do evento há 15 dias, mas o ex-prefeito está em viagem com a esposa pela Europa. “Kalil é meu amigo. Espero que ele possa vir [me apoiar]. Ele deixou para resolver isso quando voltar. Quando ele voltar nós vamos ter outra conversa”, afirmou o prefeito.

À tarde, o PSD promove evento de filiação de prefeitos e prefeitas de Minas Gerais. O PSD tem atualmente 98 prefeitos filiados no Estado. O partido pretende ser o maior em número de prefeituras no Estado. Em 2020, o MDB liderou em número de prefeituras conquistadas em Minas Gerais, com cem prefeitos eleitos, seguido pelo PSDB, com 86 prefeitos eleitos, e o DEM, com 85. O PSD foi o quarto colocado, conquistando 78 prefeituras.

Fuad Noman, prefeito de Belo Horizonte — Foto: Amira Hissa/PBH
Fuad Noman, prefeito de Belo Horizonte — Foto: Amira Hissa/PBH

Deixe um comentário