Quem são as empresas do leilão do trem que ligará SP e Campinas


Consórcio é composto por companhia chinesa líder em venda de trens e que já forneceu para o Rio, e grupo brasileiro que opera da Gol ao metrô de BH e transporta 1 milhão de passageiros por dia. Consórcio com grupo chinês vence leilão para construir e operar Trem Intercidades
Vencedor do leilão do Trem Intercidades (TIC) entre São Paulo e Campinas, o Consórcio C2 Mobilidade sobre Trilhos é composto pela chinesa CRRC e pela brasileira Comporte, duas empresas com atividades relacionadas ao serviço ferroviário e transporte de passageiros – veja, abaixo, como atuam as companhias.
🔔 Participe do canal do g1 Campinas no WhatsApp
Único a apresentar proposta, o consórcio será responspável por construir e operar o trem que deve ligar as cidades de São Paulo e Campinas em um trajeto de 101 km em 1 hora e 4 minutos, com velocidade de até 140 km/h, e passagem de R$ 64.
O investimento previsto no projeto é de R$ 14,2 bilhões. A concessão é para explorar o serviço por 30 anos.
O consórcio vencedor também vai operar um Trem Intermetropolitano (TIM) para atender passageiros em Jundiaí, Louveira, Vinhedo e Valinhos, no interior de São Paulo. Também será responsável pela operação da Linha 7-Rubi, hoje administrada pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que teve um movimento de 99 milhões de passageiros em 2023.
Da Gol ao metrô de BH
Metrô de Belo Horizonte
Jô Andrade/g1 Minas
Responsável por 60% do Consórcio C2 Mobilidade sobre Trilhos, a brasileira Comporte controla dezenas de empresas no ramo de transporte, tanto de passageiros quanto de carga. Pertence à família Constantino, que fundou a Gol.
Em seu relatório anual, destaca a atuação em diferentes locais do Brasil, transportando um milhão de pessoas por dia, tanto em serviços de ônibus urbano e rodoviários, além da operação sobre trilhos. O grupo encerrou 2023 com 16 mil funcionários diretos, e com uma frota total de 6.118 veículos.
O balanço financeiro aponta aumento de 19,8% na receita total, e um lucro operacional bruto com alta de 18,8% em 2023, no comparativo com o ano anterior.
José Efraim Neves, diretor do consórcio, destacou que que o grupo brasileiro atua no ramo de mobilidade, e que está ampliando o portfólio sobre trilhos. Em 2023, a Comporte asumiu a operação do metrô de Belo Horizonte (MG).
“Nós do grupo Comporte somos uma holding 100% voltada para a mobilidade. Então, está no nosso escopo e no nosso DNA o atendimento aos usuários quer seja sobre pneus, ou trilhos. E nesse caso nós fomos vencedores já no ano passado do Metrô BH e também já temos a experiência do VLT da baixada santista. E, com isso, nós estamos ampliando o nosso portfólio sobre trilhos”.
Em seu site oficial, a Comporte Participações S. A. informa que é uma sociedade por ações de capital nacional fechado que iniciou as atividades em junho de 2002. A matriz está localizada na cidade de São Bernardo do Campo (SP).
Recuperação da Gol
A companhia aérea Gol entrou em janeiro com um pedido de reestruturação financeira nos Estados Unidos, em processo semelhante à recuperação judicial brasileira.
Questionado após o leilão se o fato da recuperação da Gol poderia atrapalhar o projeto do Trem Intercidades, Neves destacou que eles estão “preparados preparados para enfrentar essas situações e os assuntos da Gol são tratados apartados do leilão.”
Batida simbólilca do martelo pelo consórcio que venceu o leilão do Trem Intercidades (TIC) entre Campinas (SP) e São Paulo
Reprodução/B3
Líder mundial
Com 40% do consórcio vencedor do leilão, a chinesa CRRC é um dos líderes mundiais na comercialização de equipamentos ferroviários, exportando para “mais de 100 países e regiões do mundo”.
Já forneceu trens para o Metro Rio e Supervia, concessionárias de transporte do Estado do Rio de Janeiro.
Formada em 2015 após a fusão de outras duas companhias chinesas, tem sede em Pequim, faturamento anual de vendas de US$ 37,8 bilhões e reúne 180 mil funcionários em 46 subsidiárias.
A CRRC destaca que atua em toda a cadeia, de projeto e desenvolvimento, passando por venda, reparos e fabricação, inclusive, locomotivas de alta velocidade – em 2010, produziu um modelo que atinge até 380 km/h.
Foto de arquivo de executivos da CRRC Changchun na inauguração do Centro de Intercâmbio Cultural e Tecnológico de Cidade Inteligente no Rio de Janeiro, em 2023
Divulgação
Investimentos
O edital do TIC prevê que o vencedor implante trens cuja velocidade máxima chegue a 140 km/h – o que é considerado média velocidade, mas que representaria o transporte de passageiros por trilhos mais rápido em operação no Brasil.
📆 De acordo com o secretário de Parcerias em Investimentos (SPI), Rafael Benini, a expectativa é que o serviço intermetropolitano entre em funcionamento até 2029, enquanto o trem expresso, que prevê apenas uma parada de dois minutos em Jundiaí, comece a operar até 2031.
LEIA TAMBÉM:
Entenda como proposta de ligar SP a Campinas por trilhos mudou nas últimas décadas
Expectativa por trem rápido anima quem leva mais de 3h até a capital: ‘Vou usar com certeza’
O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), durante o leilão do Trem Intercidades (TIC) Eixo Norte, que vai ligar a cidade de São Paulo à Campinas, realizado na sede da B3, bolsa de valores de São Paulo, nesta quinta-feira (29).
BRUNO ESCOLASTICO/E.FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO
💰 Qual o investimento previsto?
O edital prevê aporte de R$ 14,2 bilhões para a infraestrutura, incluindo a construção e modernizações;
⏳ Qual o prazo de concessão?
A concessão será de 30 anos, a partir do início da operação comercial.
🚄 Quais as ligações previstas?
Serviço Expresso (Trem Intercidades): São Paulo a Campinas, com parada em Jundiaí;
Serviço Linha 7 Inicial e o Serviço Linha 7-Rubi: conectam a Estação Barra Funda, em São Paulo, a Jundiaí, e atende às cidades de Franco da Rocha, Francisco Morato, Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista;
Serviço TIM (Trem Intermetropolitano): vai de Jundiaí a Campinas, e atende também Louveira, Vinhedo e Valinhos.
Leilão define grupo que vai administrar trem intercidades
⌚ Quanto tempo vai demorar a viagem?
O Trem Intercidades (serviço expresso) deve percorrer os 101 km entre São Paulo e Campinas no tempo previsto de 1 hora e 4 minutos;
A proposta é que as viagens do serviço expresso tenham intervalos de 15 minutos nos horários de pico.
💲 Quanto pode custar a passagem?
O valor estimado da tarifa do serviço expresso, definido a partir de pesquisas sobre potencial e demanda, é de R$ 64, mas a companhia vencedora da concorrência pode oferecer um valor inferior ao teto;
Atualmente, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de São Paulo (Setpesp), uma passagem de ônibus entre Campinas e São Paulo, na categoria convencional, está na faixa de R$ 31,82, enquanto quem usa um carro próprio paga em torno de R$ 24,60 somente de pedágios para ir de Campinas a São Paulo, considerando-se o uso da Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), uma das principais do estado;
“A gente entende que [a tarifa de] R$ 64 é adequada porque o serviço é mais rápido, estamos falando de um deslocamento em 1h04, enquanto o ônibus é de 1h30 a 2h, pode ser até mais que isso com trânsito. Além disso, as tarifas de ônibus não são reajustadas há algum tempo”, ponderou André Isper, secretário-executivo da SPI.
Infográfico mostra trajeto previsto e detalhes do projeto do Trem Intercidades, que vai ligar Campinas à Estação da Luz, na capital de SP
Arte/g1
🚃 Qual a velocidade do trem?
Para a realização do serviço expresso, o edital prevê que a empresa implante trens cuja velocidade máxima chegue a 140 km/h – o que é considerado média velocidade;
O projeto também inclui a implantação de um serviço metropolitano entre Campinas e Francisco Morato (SP), e estabelece atendimentos a outros municípios do interior paulista como Louveira (SP), Valinhos (SP) e Vinhedo (SP);
A extensão dessa operação seria de 65,8 km, com nove estações e velocidade comercial de 56 km/h – a estimativa é que o tempo de viagem dure 55 minutos.
👨‍👩‍👧‍👦 Quantos passageiros serão transportados?
O estado prevê que o serviço expresso (SP e Campinas em 64 minutos) seja atendido por um trem com capacidade para 860 passageiros sentados, operando em intervalos de até 15 minutos nos horários de pico;
A expectativa do projeto é atender até 60 mil passageiros por dia em todos os serviços.
🧱 Qual a infraestrutura prevista?
O edital prevê que as composições contem com banheiros, incluindo os acessíveis; telas pelos vagões para informar detalhes sobre a viagem e trajeto, que poderão ser explorados para publicidade; oferta de sinal de internet (Wi-Fi), tomada e porta USB aos passageiros.
🔨 Quantos empregos serão gerados?
A projeção é que o empreendimento gere 10,5 mil empregos diretos, indiretos e induzidos.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
d
Veja mais notícias da região no g1 Campinas

Deixe um comentário