Prefeito de SP acompanha Bolsonaro, defende ex-presidente e diz que ato foi ‘histórico’ | Política

Em busca de ser o nome bolsonarista na disputa pela Prefeitura de São Paulo, o prefeito da capital e pré-candidato à reeleição, Ricardo Nunes (MDB), participou da manifestação chamada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) neste domingo (25) na avenida Paulista e afirmou que o ato foi “histórico”. Nunes teve uma participação discreta no palanque e não discursou. O prefeito posou para fotos ao lado de apoiadores de Bolsonaro e acompanhou o ex-presidente junto com o governador do Estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos).

No começo da tarde, Nunes foi ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, encontrar o ex-presidente Bolsonaro, que ficou hospedado no local. O prefeito foi junto com o ex-presidente e o governador para o ato na Paulista e reforçou a equipe de segurança da manifestação com agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM). Bolsonaro fez uma menção rápida a Nunes, para agradecer a presença da GCM.

Em nota enviada pela equipe do prefeito, Nunes afirmou que Bolsonaro fez um “evento histórico” e disse que a manifestação “fortalece a democracia” do país. O ex-presidente convocou o ato em busca de apoio, depois de se tornar alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga tentativa de golpe de Estado, abolição do Estado de Direito e associação criminosa.

Nunes, que já tem a promessa de aliança do PL, busca o apoio de Bolsonaro para sua pré-campanha. A participação do prefeito no ato, entretanto, motivou divergências entre seus aliados. Eles temiam que ele fosse vaiado por apoiadores do ex-presidente, que cobram de Nunes uma defesa mais enfática dele a Bolsonaro.

A equipe do prefeito e pré-candidato à reeleição divulgou uma nota dizendo que a manifestação convocada pelo ex-presidente é a “maior manifestação pública já realizada na avenida Paulista e na história da democracia brasileira” e citou a presença de “1,8 milhão de pessoas, segundo levantamento do Centro de Operações da Polícia Militar do Estado de São Paulo (Copom)”.

Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes participa de ato de Jair Bolsonaro na Paulista — Foto: Divulgação
Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes participa de ato de Jair Bolsonaro na Paulista — Foto: Divulgação

Bolsonarista, o secretário estadual de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, afirmou nas redes sociais que 750 mil pessoas estiveram presentes na manifestação. A Polícia Militar, no entanto, afirmou por meio da assessoria que não costuma mensurar o número de manifestantes em atos como o deste domingo.

A multidão ocupou de forma ao menos sete quarteirões da Paulista, segundo imagens da TV Globo, e foi calculada pelo Monitor do Debate Político no Meio Digital, vinculado à Universidade de São Paulo (USP) em 185 mil pessoas, às 15h. O estudo, liderado pelo cientista político Pablo Ortellado, utiliza fotos e tem precisão de 72,9%.

Adversário de Nunes na disputa pela prefeitura, o deputado federal e pré-candidato Guilherme Boulos (Psol) disse que a presença de Nunes no ato é uma “vergonha” e um atentado à democracia.

“Nunes já está com a pulserinha vip do camarote do gabinete do ódio”, ironizou Boulos, em uma postagem em suas redes com imagens do prefeito na recepção a Bolsonaro no Palácio dos Bandeirantes.

A deputada e também pré-candidata Tabata Amaral (PSB) disse que Nunes apequena o cargo que ocupa. “Além disso, é vergonhoso ver o prefeito da maior cidade brasileira apequenar o cargo que ocupa e a cidade que deveria liderar com sua participação. Novamente, Nunes demonstra topar qualquer negócio para se manter no poder e envergonha o legado de Bruno Covas”, escreveu, mencionando o ex-prefeito, que liderou a chapa eleita em 2020 e morreu em maio de 2021.

Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes participa de ato de Jair Bolsonaro na Paulista — Foto: Divulgação
Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes participa de ato de Jair Bolsonaro na Paulista — Foto: Divulgação

Deixe um comentário